• Redação CDPV

iFood foi alternativa para milhares de negócios não fecharem na pandemia

Para Jason Oh, Diretor de Parcerias e Novos Negócios da empresa, crescimento do delivery veio para ficar


Uma das saídas para muitas empresas de food service durante a pandemia de Covid-19 foi apostar no delivery. Na verdade, com as medidas de distanciamento social e necessidade de manter bares e restaurantes fechados por longos períodos, era isso ou baixar as portas definitivamente.


E uma das ferramentas que mais ajudou quem ainda não possuía um sistema de entregas a sobreviver ao longo dos meses foi o iFood. Para falar sobre as ações tomadas pela empresa e o crescimento no serviço de delivery no Brasil o podcast BóraVoar, do palestrante de vendas mais contratado do Brasil, Diego Maia, recebeu o Diretor de Parcerias e Novos Negócios do iFood, Jason Oh. Confira o bate-papo.


“Acreditamos que a tecnologia e a inovação têm o poder de incluir milhares de pessoas no mercado e gerar mais oportunidades de trabalho.” Jason Oh


Diego Maia - Olha, o iFood se apresentou como uma espécie de salvação para milhares de empresas que tiveram que fechar as portas e tentar uma sobrevida com o delivery. Conta para a gente como é que foi essa história, como é que você se posicionaram, como é que vocês encararam essa nova realidade?


Jason Oh - O iFood acredita que o crescimento do serviço de entregas de comida, que se acentuou durante a pandemia, é algo que veio para ficar. Deixamos de ser um serviço ocasional e viramos um serviço essencial. O que aconteceu com o nosso ecossistema nos últimos meses transformou o nosso negócio e que potencializou muito o nosso papel social.


“Para milhões de consumidores o delivery era algo que remetia a pizza do fim de semana. A pandemia fez muitos desses clientes perceberem que o iFood é bem mais do que isso.” Jason Oh

Diego Maia - O que o iFood fez para dar conta da demanda?


Jason Oh - A chave do crescimento do nosso setor é a capacidade de prestar um bom serviço. Aqui no iFood somos obcecados por isso. Para atender à crescente demanda, já agimos com agilidade em busca de soluções que proporcionam melhor experiência para o nosso ecossistema. É importante ressaltar que sempre investimos muito em tecnologia, que é um pilar fundamental para suportar o nosso crescimento, mesmo antes da pandemia. Temos mais de mil engenheiros pensando dia e noite em como melhorar a nossa entrega.


Diego Maia - Jason, como é que você enxerga o futuro do iFood e quais são as suas apostas para fortalecer o ecossistema de food service no Brasil?


Jason Oh - Estamos em constante expansão e focados em investimento, em inteligência artificial e no desenvolvimento e aquisição de talentos. Encaramos a consolidação do iFood como uma maratona, em que inovamos com agilidade, mas também com os olhos no longo prazo. Na construção de um ecossistema sustentável para todos os envolvidos, clientes parceiros e sociedade. Na vertical de meio ambiente, por exemplo, lançamos o iFood Regenera, nosso programa de metas ambientais. Desde o 1º de julho deste ano (2021) 100% das entregas realizadas pelo iFood já são compensadas antecipadamente em CO². Além disso, desde 2019 o iFood Shop, marketplace que garante os insumos e produtos voltados aos parceiros, conta com a confecção de embalagens sustentáveis. Criadas para oferecer e incentivar parceiros no uso de embalagens e utensílios de delivery livres de plástico, aderindo à companhia na causa ambiental.


Diego Maia - Quais outras ações vocês desenvolvem com os restaurantes parceiros?


Jason Oh - O iFood também oferece uma série de ações para capacitação dos restaurantes, incluindo parcerias com o Sebrae e a Escola Conquer. Importante ressaltar que traçamos a meta de ajudar milhares de restaurantes, mercados e entregadores a se digitalizarem, abrindo assim as portas para o futuro e gerando riqueza para todo o ecossistema e a sociedade. Acreditamos que a tecnologia e a inovação têm o poder de incluir milhares de pessoas no mercado e gerar mais oportunidades de trabalho.

Você pode conferir mais entrevistas exclusivas no Portal CDPV e ouvi-las no podcast BóraVoar no seu navegador ou na sua plataforma de streaming preferida, como o Spotify, por exemplo.


Sobre o Diego Maia

Diego Maia é o palestrante de vendas mais contratado do Brasil. Com 6 livros publicados, atua no mercado de palestras e treinamentos de vendas desde 2003. Apresenta o BóraVoar, programa que está no ar em diversas emissoras de rádio como Antena 1 (103,7 FM Rio de Janeiro) e Mais Brasil News (101,7 FM Brasília). O programa também é publicado diariamente em todos os aplicativos de podcasts.


Diego Maia é CEO do CDPV (Centro de Desenvolvimento do Profissional de Vendas), escola de vendas pioneira no Brasil, especializada em treinamentos de vendas presenciais e online.