Projetos especiais podem ajudar na retomada do turismo no Rio

Paulo Michel, presidente da ABIH-RJ ressalta que hotéis estão entre os ambientes mais seguros durante a pandemia



A retomada do turismo é fundamental para a economia do Rio de Janeiro, que depende muito desse setor. E apesar de uma expectativa de retomada total lenta, a união da demanda reprimida por viagens de lazer e trabalho ao avanço da vacinação, dá esperanças de um futuro melhor para o ramo.


Enquanto isso, as entidades do setor têm se preparado para atrair visitantes quando as viagens voltarem em um ritmo mais acelerado. O presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis no Rio de Janeiro (ABIH-RJ), Paulo Michel, falou sobre diversas ações em entrevista para o podcast BóraVoar, do palestrante de vendas mais contratado do Brasil, Diego Maia. Confira o bate-papo.


Diego Maia - Curto e grosso, preto no branco! Quando é que volta o turismo, Paulo?


Paulo Michel - A retomada total do setor pode demorar até quatro anos e depende diretamente da retomada da economia. E esta depende da conclusão da vacinação para o controle do Coronavírus. Para se ter uma ideia, no primeiro trimestre havia uma expectativa da retomada do turismo corporativo, o que acabou não se configurando devido às novas medidas restritivas impostas em várias cidades do país.


"O cenário ainda é bastante incerto, mas estamos esperançosos com os avanços da campanha de vacinação. O que precisamos sempre ressaltar é que os hotéis ainda continuam representando um dos ambientes mais seguros, por seguirem os mais exigentes padrões de protocolo e prevenção." Paulo Michel

Diego Maia - O que os hotéis estão fazendo para se preparar para a retomada?


Paulo Michel - Desde o início da pandemia temos mantido uma atuação de diálogos ativos junto aos órgãos competentes, no pioneirismo dos mais modernos protocolos de prevenção para manter nossa operação segura para os hóspedes e para os nossos colaboradores. Em paralelo, investimos em ações promocionais voltadas para os principais destinos emissores.


Com a vacinação acelerada, temos buscado realizar campanhas de incentivo para atrair os turistas ao nosso estado. Recentemente retornamos na capital a campanha O Rio Não Para, com o objetivo de proporcionar aos turistas benefícios ou descontos exclusivos ao longo de todo o ano.


Diego Maia - E como funciona essa ação?


Paulo Michel - Cada mês contará com uma ação temática atrelada as datas especiais ou as propostas de valor no destino Rio para entregar aos seus visitantes. Em junho, por exemplo, uma das datas que focamos foi o Dia dos Namorados e conquistamos uma média geral de cerca de 70% de ocupação na rede hoteleira da cidade. E isso é muito bom.


Diego Maia - Muitos hotéis se reinventaram, ofereceram suas dependências para espaço de trabalho, por exemplo. Existem ações nesse sentido previstas?


Paulo Michel - Está para ser lançado também pela Riotur o Projeto Nômades Digitais. O nomadismo digital segue uma tendência mundial de mudança de comportamento e a pandemia da Covid-19 fez com que muitos se ausentassem dos escritórios e trabalhassem de suas casas. Parece ter acelerado este processo. Por conta disso, os hotéis da capital vão se adaptar a essa nova realidade, para oferecer toda a estrutura necessária para atender a esse tipo de visitante.


Outro importante projeto que podemos destacar é o ProCap (programa de capacitação da ABIH-RJ), que promove a capacitação, atualização, promoção, venda no destino junto aos operadores de receptivo para que possam vender a região e os seus atrativos turísticos às agências de viagem.


Diego Maia - Legal essa ideia. Conta mais sobre ela.


Paulo Michel - A proposta do ProCap, desta iniciativa, é realizar uma aproximação entre as atrações locais e os principais representantes do segmento operador, alcançando consequentemente os visitantes potenciais. Já realizamos a primeira edição no interior da cidade de Petrópolis e foi um sucesso. Estamos em negociação agora para que aconteça no Vale do Café.


Além disso, temos também planejado uma série de ações para fortalecer a retomada do turismo na cidade do Rio de Janeiro no pós pandemia, como o investimento no turismo de negócios, tendo em vista que as grandes feiras foram postergadas. Cerca de 400 eventos de todos os portes, entre convenções e feiras, canceladas ou adiadas, estão no radar representando a possibilidade de geração de fluxo para a capital após o fim da pandemia do Coronavírus.


***


Você pode conferir mais entrevistas exclusivas no Portal CDPV e ouvi-las no podcast BóraVoar no seu navegador ou na sua plataforma de streamings preferida, como o Spotify, por exemplo.


Sobre o Diego Maia


Diego Maia é o palestrante de vendas mais contratado do Brasil. Com 6 livros publicados, atua no mercado de palestras e treinamentos de vendas desde 2003. Apresenta o BóraVoar, programa que está no ar em diversas emissoras de rádio como Antena 1 (103,7 FM Rio de Janeiro) e Mais Brasil News (101,7 FM Brasília). O programa também é publicado diariamente em todos os aplicativos de podcasts.


Diego Maia é CEO do CDPV (Centro de Desenvolvimento do Profissional de Vendas), escola de vendas pioneira no Brasil, especializada em treinamentos de vendas presenciais e online.