• Redação CDPV

Retomada do turismo de eventos é esperada no Rio

Roberta Werner, da RCVB, diz que a cidade precisa buscar a volta de convenções com o avanço da vacinação.



O Rio de Janeiro tem uma vocação turística muito forte e por isso mesmo foi altamente impactada pela pandemia de Coronavírus. O setor é muito importante para a economia da cidade e sofreu um baque muito forte desde março de 2020.


Os eventos, por exemplo, praticamente pararam de ser realizados na cidade. No entanto, com o avanço da vacinação, o Rio Convention & Visitors Bureau (RCVB) prevê que já no segundo semestre de 2021 o mercado comece a reaquecer.


Para falar mais sobre a situação atual do setor de turismo e perspectivas para o futuro a diretora comercial do RCVB, Roberta Werner, conversou com o Diego Maia, o palestrante de vendas mais contratado do Brasil em seu podcast, o #BóraVoar. Confira abaixo a transcrição da entrevista.


Diego Maia - Roberta, qual o trabalho da RCVB nesse momento de pandemia e qual o principal foco na retomada após pandemia?


Roberta Werner - Então, o Rio Convention & Visitors Bureau está sempre buscando, com o apoio dos mantenedores, a promoção do Rio de Janeiro como o melhor destino turístico, de lazer e negócios do país. Eu acredito que com a chegada dessa pandemia a tarefa se tornou ainda mais relevante diante do forte impacto que a gente teve no setor do turismo. E muito em função dessa questão nós temos investido em uma série de iniciativas para fortalecer a indústria do turismo receptivo na cidade. Recentemente nós lançamos um mapa guia gratuito para visitantes, além de um material promocional, justamente para auxiliar na divulgação do Rio de Janeiro.


Além disso, o Rio Convention acaba de assinar algumas parcerias buscando justamente trazer os viajantes de volta, sempre seguindo as normas de segurança e protocolos. E entre elas estão algumas das iniciativas com representantes de diversas religiões para incentivar o turismo religioso na cidade. Só para se ter uma ideia, enquanto o Cristo Redentor recebe 3 milhões de turistas/ano, o Santuário Nacional de Nossa Senhora de Aparecida atrai 13 milhões. Então, o nosso objetivo é aumentar esse fluxo nos próximos dez anos.



Diego Maia - Qual o impacto que esse tipo de turismo pode ter na cidade?


Roberta Werner - Se a gente conseguir atrair pelo menos 3% dos visitantes da Basílica de Aparecida, a economia do Rio pode ganhar pelo menos R$ 300 milhões por ano.


"O Rio Convention acredita que a cidade tem um potencial enorme para o turismo de negócios, com grandes centros de convenções como por exemplo o RioCentro, o Sul América, além de dezenas de hotéis com capacidade para receber conferências de várias naturezas." Roberta Werner

Diego Maia - Roberta, e o turismo de eventos, que sempre foi forte no Rio?


Roberta Werner - Outro foco que a gente tenta reforçar é a captação de eventos na cidade. Então, em 2020 e 2021 nós tivemos mais da metade dos eventos programados para acontecer aqui foram cancelados ou revisados de forma híbrida ou somente virtual. E agora é hora da gente pensar na retomada. O Rio Convention acredita que a cidade tem um potencial enorme para o turismo de negócios, com grandes centros de convenções como por exemplo o RioCentro, o Sul América, além de dezenas de hotéis com capacidade para receber conferências de várias naturezas. Isso, sem falar em todo o atrativo turístico que pode ser aproveitado pelos participantes durante essas viagens de negócios.



Diego Maia - O Rio realmente possui muitos equipamentos turísticos disponíveis.


Roberta Werner - É importante também a gente lembrar que o Rio de Janeiro tem um legado olímpico importantíssimo, que hoje está sub aproveitado e que pode ser utilizado em eventos esportivos nacionais e internacionais. Então, nos últimos 15 anos, além das Olimpíadas de 2016, fomos palco para as principais competições esportivas do mundo. Isso inclui a Copa do Mundo, os Jogos Olímpicos, os Jogos Mundiais Militares, os Jogos Panamericanos de 2007.


Então, pensando muito nesse sentido, em desenvolver muito essa área e que também é uma notícia muito importante, assinamos recentemente um termo de cooperação técnica tanto com o Comitê Olímpico Brasileiro quanto com o Comitê Paralímpico para fomentar a captação dessas competições relevantes para o Rio de Janeiro com a retomada dos eventos esportivos. A gente está muito feliz com essa parceria recente e eu tenho certeza que isso vai gerar excelentes frutos para nós.


"Todos os associados do Rio Convention respeitam muito as medidas recomendadas pelas autoridades sanitárias para evitar a proliferação do Coronavírus." Roberta Werner

Diego Maia - Quais são os primeiros passos nesse momento de vacina e também quando tudo amenizar, Roberta?


Roberta Werner - Os primeiros passos já foram dados no sentido da gente trabalhar junto aos nossos mantenedores e parceiros a adoção de protocolos sanitários bem rígidos. Todos os associados do Rio Convention respeitam muito as medidas recomendadas pelas autoridades sanitárias para evitar a proliferação do coronavírus. Então, com cuidados extras, com a higienização, ventilação dos ambientes e aglomerações, além da obrigatoriedade do uso de máscaras e a utilização de álcool em gel. E com a ampliação das vacinas, a nossa expectativa é a melhor possível. Basta ver o processo que já está em andamento na Europa, nos Estados Unidos, onde a imunização já está mais avançada.


"A nossa prioridade é reunir o setor turístico nacional para trazer os viajantes neste momento a fim de fazer com que todos saiam fortalecidos desse processo." Roberta Werner

Diego Maia - E dá para ficar otimista?


Roberta Werner - A gente tem uma visão muito otimista e espera que em breve isso possa ser replicado aqui no Brasil. E que como a gente consegue observar nesses países, as medidas restritivas já foram afrouxadas e a previsão é que a ocupação alcance os índices de antes da pandemia já em Agosto de 2021.


Então, aqui a gente já começa a perceber que os visitantes estão mais confiantes para realizar as suas viagens. Tanto que as reservas de passagens do setor aéreo já mostram uma recuperação bastante expressiva, bastante relevante. Então, nesse sentido, os próximos meses serão cruciais para reaquecer o mercado. As principais cidades turísticas já estão trabalhando nesse sentido e o Rio de Janeiro certamente não ficará para trás. A nossa prioridade é reunir o setor turístico nacional para trazer os viajantes neste momento a fim de fazer com que todos saiam fortalecidos desse processo.


É bom lembrar que a economia da cidade depende bastante desse setor. Então, quando falamos em retomada do turismo estamos falando também da recuperação da economia do Rio de Janeiro.


Diego Maia - Boto fé. Muita fé! Boa sorte, Roberta!


***


Você pode conferir mais entrevistas exclusivas no Portal CDPV e ouvi-las no podcast BóraVoar no seu navegador ou na sua plataforma de streaming preferida, como o Spotify, por exemplo.


Sobre o Diego Maia


Diego Maia é o palestrante de vendas mais contratado do Brasil. Com 6 livros publicados, atua no mercado de palestras e treinamentos de vendas desde 2003. Apresenta o BóraVoar, programa que está no ar em diversas emissoras de rádio como Antena 1 (103,7 FM Rio de Janeiro) e Mais Brasil News (101,7 FM Brasília). O programa também é publicado diariamente em todos os aplicativos de podcasts.


Diego Maia é CEO do CDPV (Centro de Desenvolvimento do Profissional de Vendas), escola de vendas pioneira no Brasil, especializada em treinamentos de vendas presenciais e online.