Food tech Cozinhe.Me quer resgatar o hábito de cozinhar

Cozinhe.me leva experiência culinária diferenciada direto para a cozinha do consumidor.



Um dos setores que mais mudaram durante a pandemia de Covid-19 foi o de food service. Essas empresas precisaram se reinventar a partir da mudança na demanda, com o aumento dos pedidos de delivery através da internet.


Segundo a instituição britânica The Food Tech Matters, que conecta empreendedores do setor com companhias aceleradoras e investidores, espera-se que o mercado atinja um valor global na casa dos R$ 980 bilhões em 2022. O número de investidores nesse setor também aumentou muito e triplicou nos últimos quatro anos.


No Brasil uma das food techs de destaque é a Cozinhe.me, que tem como objetivo inspirar e resgatar nas pessoas o ato de cozinhar. Para isso eles criaram uma plataforma de experiências culinárias e acreditam que o ato de ir para a cozinha é saudável, sustentável e divertido.


O palestrante de vendas mais contratado do Brasil, Diego Maia, entrevistou para o seu podcast BóraVoar o CEO e co-fundador da Cozinhe.me, Paulo Renato, que falou sobre o atual modelo de negócios e os planos para o futuro. Confira abaixo.


Diego Maia - Estou recebendo aqui o Paulo Renato, CEO e co-fundador da Cozinhe.me.


Paulo Renato - Primeiro quero te dizer que é um prazer imenso estar participando do teu podcast, do teu programa. Para nós é uma honra estarmos aqui listados nessa tua pesquisa, nessa tua lista de principais startups brasileiras. A gente acredita que sim, o nosso modelo de negócios é muito promissor. E para nós é um prazer estarmos participando contigo do programa.


Diego Maia - Me conta mais detalhes desse negócio de vocês.


Paulo Renato - Uma startup que nasceu para inspirar o mundo a cozinhar. Esse é o nosso propósito. A gente fundou a startup em 2017, mas a gente passou por uma grande mudança em 2019. Então, a Cozinhe.me tem bases teóricas muito sólidas, a gente está muito inspirado pelo antropólogo americano Michael Pollan, que é autor daquele documentário que tem no Netflix, o Cooked.


Acreditamos que o ato de cozinhar é a tecnologia exponencial que pode mudar o futuro da humanidade e a que as pessoas quando cozinham elas se relacionam melhor com o planeta, se tornam seres mais sustentáveis e se relacionam melhor com o alimento que as mantêm vivas e com as pessoas.


"Descasque mais e desembrulhe menos. Acho que esse é um mantra nosso aqui." Paulo Renato

Diego Maia - Vocês também têm uma grande preocupação com saúde, certo?


Paulo Renato - Acreditamos que é muito poderoso o ato de cozinhar, tá muito envolvido com a nossa questão de saúde. Várias doenças, diabetes, problemas no coração, alguns tipos de câncer, estão originados nos nossos hábitos alimentares, no consumo de produtos ultra processados, no consumo de muito fast food. Então, tem esse componente de saúde no nosso propósito.


Quando tu cozinha tu sabe exatamente quanto de sal entrou, qual a procedência do ingrediente, o que tu utilizou para fazer aquele bolo, o quanto de açúcar, etc. A gente tem um componente muito forte de educação, as crianças aprendem valores muito importantes e tem a questão toda da sustentabilidade no final. Descasque mais e desembrulhe menos. Acho que esse é um mantra nosso aqui.


Diego Maia - Como foi a mudança no modelo de negócios que a Cozinhe.me passou recentemente?


Paulo Renato - O nosso modelo de negócios, como eu disse antes, teve uma grande transformação em 2019 e 2020. Mapeamos toda a jornada de quem quer cozinhar hoje, para entender o porquê que a gente aos poucos foi se afastando da cozinha.


Hoje para tu cozinhar numa vida super corrida, trabalho, etc, tu tem que achar receita ou num livro, ou no Google, tem que imprimir essa receita, ou escrever, ou jogar para o WhatsApp. Tem que ir até o supermercado, passar por vários corredores, por vezes não encontrar todos os ingredientes que precisa para preparar aquela receita. Vai chegar em casa, vai cozinhar sozinho lá na cozinha, enfim alguns ligam uma música, para alguns é uma distração, mas para alguns também pode parecer maçante e depois vai lavar louça. Hoje é a jornada comum de quem quer cozinhar. A gente redesenhou essa jornada em 2019 e a gente "pivotou", como a gente chama nesse mundo das startups.


Diego Maia - E foi uma mudança radical, né Paulo?


Paulo Renato - A gente "pivotou" o nosso modelo de negócio, mudou, alterou ele drasticamente e passamos a ter um produto. É uma caixa que chega na tua casa com todos os ingredientes para tu preparar uma receita com o passo a passo, com uma playlist para cozinhar ouvindo música, com dicas de vinho, dicas de cerveja, dicas de bebidas que harmonizam, drinques, com algumas surpresas.


Por exemplo, a gente fez uma caixa no Dia dos Namorados que levou o pessoal até Aix-en-Provance, na França, em que a caixa levou um cheirinho de lavanda. Aix-en-Provance é a cidade da lavanda e a gente levou até a casa das pessoas essa experiência. O nosso produto é esse e o nosso modelo de negócio então se modifica muito a partir de 2019, 2020.


Diego Maia - E agora vocês vão passar a oferecer um clube de assinaturas para as pessoas, certo?


Paulo Renato - A gente passou pelo principal programa de aceleração do mundo de startups na área da gastronomia, que é o From Start-To-Table, realizado pelo Startup Lisboa, realizado em Portugal. Ali a gente modelou o nosso negócio, para um negócio de recorrência. Ou seja, até ao final desse ano a Cozinhe.me se transforma num clube.


Então, você vai poder escolher uma experiência por mês, ou duas, ou três, para aprender as receitas, a cozinhar e essa experiência vai ser pensada junto com os restaurantes. Com alguns restaurantes que já trabalham nessa lógica de experiência, que já têm um menu diferente e que acreditam no propósito de inspirar as pessoas a cozinhar e num mundo melhor através do alimento, através da cozinha.


"São produtos que hoje tu não encontra no supermercado e que tu tem a condição de com alguns cliques receber na tua casa toda essa curadoria, toda essa experiência e a ideia é que tu replique isso depois e cozinhe para outras pessoas." Paulo Renato

Diego Maia - Agora, quais são as tuas perspectivas? O que vocês vão fazer para ampliar, para fazer essa startup crescer?


Paulo Renato - Acho que vocês já devem ter percebido que pelo meu sotaque que eu sou do Sul. Sou do Rio Grande do Sul, de Porto Alegre, e avisar o pessoal do Rio, de São Paulo, que logo nós estaremos aí, com as experiências autorais. Hoje a gente tem mais de 12 experiências autorais, e também com a experiência dos restaurantes.


Atualmente, temos por exemplo, um risoto de cogumelos que é incrível, um camarão tailandês incrível também. A entrada é um salmão curado com creme azedo e um pão de fermentação natural. São produtos que hoje tu não encontra no supermercado e que tu tem a condição de com alguns cliques receber na tua casa toda essa curadoria, toda essa experiência e a ideia é que tu replique isso depois e cozinhe para outras pessoas. Faça um hambúrguer como a maionese de laranja, queijo gouda, pão artesanal e broto de beterraba com o nosso ketchup de pimenta biquinho, por exemplo.


Enfim, tem várias experiências e a gente está louco para ir para o Rio, tá louco para ir para São Paulo e temos ainda mais alguns passos aqui em Porto Alegre para a gente arredondar bem o modelo de negócios. Um deles é o desenvolvimento da plataforma.


***


Você pode conferir mais entrevistas exclusivas no Portal CDPV e ouvi-las no podcast BóraVoar no seu navegador ou na sua plataforma de streaming preferida, como o Spotify, por exemplo.


Sobre o Diego Maia


Diego Maia é o palestrante de vendas mais contratado do Brasil. Com 6 livros publicados, atua no mercado de palestras e treinamentos de vendas desde 2003. Apresenta o BóraVoar, programa que está no ar em diversas emissoras de rádio como Antena 1 (103,7 FM Rio de Janeiro) e Mais Brasil News (101,7 FM Brasília). O programa também é publicado diariamente em todos os aplicativos de podcasts.


Diego Maia é CEO do CDPV (Centro de Desenvolvimento do Profissional de Vendas), escola de vendas pioneira no Brasil, especializada em treinamentos de vendas presenciais e online.