• Redação CDPV

Demanda reprimida deve impulsionar o turismo pós pandemia

Peterson Prado, da AVIPAM, aposta em adequações no mercado e na retomada gradativa dos postos de trabalho



A retomada do setor de turismo com o avanço da vacinação e o fim da pandemia é aguardada com ansiedade pelos players do mercado. A AVIPAM, uma das mais tradicionais agências de viagem do país, aposta em mudanças que ficarão após esse período, pela mudança de hábitos.


O vice-presidente de Operações da companhia, Peterson Prado, acredita que apesar de muitos terem percebido que há coisas que podem ser feitas de forma digital, o ser humano tem a necessidade de estar frente a frente e isso influenciará na retomada. Ele conversou com o palestrante de vendas mais contratado do Brasil, Diego Maia, em seu podcast BóraVoar sobre suas expectativas, mudanças e novidades no setor. Confira.


Diego Maia - O retorno 100% será marcado por mudanças ou você acredita na retomada do "antigo normal"?


Peterson Prado - Diego, eu vejo um mercado 100%, conforme a sua pergunta, com muitas mudanças. Principalmente por essa fusão que a gente teve do digital ser incluindo de uma forma totalmente prioritária durante a pandemia, uma vez que nós ficamos aí impossibilitados dos encontros presenciais. Então, eu vejo que as pessoas jurídicas ou físicas, elas encontraram um denominador comum no que é necessário, o que pode ser feito de forma digital, o que pode ser feito de forma híbrida e o que só pode ser feito de forma presencial. Então, vejo o mercado lá na frente muito com essas variáveis. Nós vamos assim, encontrar processos diferentes.


"Mas de uma coisa eu tenho certeza, com o avanço da vacinação a gente tem um gap grande, uma demanda reprimida. E o ser humano tem sim essa necessidade do face to face e cada vez mais a gente vai ter o retorno com muito mais força do mercado, vendo até como está acontecendo, por exemplo, em alguns países com aceleração na vacinação." Peterson Prado

Diego Maia - O setor de turismo precisou desligar muitas pessoas e tem muita gente boa desempregada nesse segmento. Você acredita que essa retomada será gradual? Vamos retomar todas essas posições que foram desativadas, desligadas por conta da pandemia?


Peterson Prado - Sim, a gente crê no aumento do mercado de trabalho, uma vez que nós chegamos a níveis bem agressivos de reduções por conta da pandemia. Talvez o mercado do turismo tenha sido um dos que mais sofreu na questão de níveis de desemprego. Então a gente crê numa aceleração da empregabilidade nessa retomada, uma vez que esse mercado tem um impacto direto e indireto grande no PIB brasileiro.


"O turismo é forte, continuará sendo forte e a gente sabe que viagem faz parte das nossas vidas. Faz parte das empresas, faz parte dos negócios e faz parte da nossa vida pessoal." Peterson Prado

Com certeza a gente crê no retorno da empregabilidade e com uma aceleração, inclusive. Eu acho que a partir de agora a gente vai conseguir ver, à medida que o turismo vai crescendo nos seus números, também de forma ponderada o crescimento da empregabilidade no Brasil e também no mundo, falando de uma maneira geral.


Diego Maia - Peterson, qual é o seu palpite, qual a sua aposta, destinos nacionais ou destinos internacionais estarão no foco do Brasileiro?


Peterson Prado - Acho que é muito cedo para falar de como vai ser a procura de destinos nacionais e internacionais. Mas dá para afirmar, sim, que nesse primeiro momento nós brasileiros vamos buscar mais os destinos nacionais. Até porque a gente não sabe como vai funcionar lá na frente o controle dessa questão de passaporte de saúde, se realmente isso vai existir, se isso vai ser implementado. Existem vários estudos, alguns grupos de trabalho em países e regiões que estão trabalhando nessa frente para a implantação de passaporte de saúde. O que a gente sabe é que a abertura do turismo com certeza

estará atrelada à questão da vacinação.


Diego Maia - O turismo local inclusive já mostrou um pouco de avanço, né?


Peterson Prado - Então, o turismo local vai continuar sendo forte como foi no ano passado durante a pandemia. Quando a gente teve a flexibilização em relação aos protocolos de segurança, etc, a gente viu que o turismo nacional foi muito forte. Porque não dava para sair, uma vez que a gente estava com muitas restrições de fronteiras. Então, eu vejo sim uma procura, nesse primeiro momento, maior dos destinos nacionais. Por outro lado, da mesma forma, vamos continuar com uma demanda reprimida de destinos internacionais, que sempre foi uma grande procura do brasileiro. O brasileiro sempre gostou de viajar para fora e isso não vai mudar. Só vai depender das condições que a gente vai ter lá na frente.


Diego Maia - E tem alguma tendência que deve surgir no setor?


Peterson Prado - Uma outra coisa que a gente está trabalhando bastante é a fusão desses dois, do turismo de negócios com o turismo de lazer, que cada vez mais as empresas estão voltadas para isso como benefício para os colaboradores. Então, acho até como tendência, deixando aqui um spoiler, que isso vai crescer.


***


Você pode conferir mais entrevistas exclusivas no Portal CDPV e ouvi-las no podcast BóraVoar no seu navegador ou na sua plataforma de streaming preferida, como o Spotify, por exemplo.



Sobre o Diego Maia


Diego Maia é o palestrante de vendas mais contratado do Brasil. Com 6 livros publicados, atua no mercado de palestras e treinamentos de vendas desde 2003. Apresenta o BóraVoar, programa que está no ar em diversas emissoras de rádio como Antena 1 (103,7 FM Rio de Janeiro) e Mais Brasil News (101,7 FM Brasília). O programa também é publicado diariamente em todos os aplicativos de podcasts.


Diego Maia é CEO do CDPV (Centro de Desenvolvimento do Profissional de Vendas), escola de vendas pioneira no Brasil, especializada em treinamentos de vendas presenciais e online.