Startup Dootax oferece agilidade no gerenciamento fiscal

Considerada uma das mais promissoras do país, a Dootax cresceu mesmo com as adversidades da pandemia.



Uma das startups que mais cresce no Brasil foi a Dootax, que criou uma plataforma de gerenciamento fiscal que promete revolucionar a maneira como as empresas lidam com as obrigações tributárias no país. Fundada em 2018 em São Bernardo do Campo, São Paulo, foi considerada promissora pela revista Pequenas Empresas, Grandes Negócios, em 2020 e 2021.


Através de seu software a Dootax garante agilidade e segurança no compliance fiscal. Em entrevista exclusiva para o podcast #BóraVoar, do palestrante de vendas mais contratado do Brasil, Diego Maia, o co-fundador e Diretor Comercial, Yvon Gaillard explicou como a empresa enfrentou a pandemia e cresceu mesmo na adversidade. Confira.


Diego Maia - Yvon, me conta mais desse negócio que vocês criaram.


Yvon Gaillard - O negócio da Dootax, Diego, é simplificar as rotinas fiscais com tecnologia. Estamos no pior país do mundo em relação à burocracia tributária e isso é sentido no dia a dia por todos os agentes econômicos aqui no país. Então, a Dootax tem um grande propósito: através de soluções tecnológicas proporcionar um melhor ambiente econômico para as empresas focarem no que realmente importa, no que realmente traz valor para a companhia.


Diego Maia - E como isso é feito?


Yvon Gaillard - Vou dar um exemplo aqui da nossa principal solução, que automatiza todo o ciclo de geração e pagamento de impostos para todos os entes aqui no Brasil, seja União, Estados ou Municípios. Para você ter uma ideia, hoje, nas empresas esse é um processo ali extremamente manual. O analista fiscal entra no site, você precisa digitar as informações, pegar aquele boleto com código de barras e depois inserir na RP, e depois ir no banco, e depois imprimir, armazenar. Isso sem falar aqueles tributos que estão diretamente relacionados para a venda, que são o ICMS, o grande vilão da história no país, que impacta diretamente o e-commerce, que tá sendo uma das grandes saídas nesse momento de pandemia. Então, é um processo muito manual, que impacta diversas áreas da companhia.


Diego Maia - Toda a empresa, não é?


Yvon Gaillard - Acham que isso só impacta a contabilidade, a área fiscal, mas não. Impacta as contas a pagar, impacta tesouraria, que precisa alocar esse recurso. Muitas vezes impacta logística porque são os tributos ligados à operação e eu só posso sair com a mercadoria quando o imposto tá pago. Enfim, é uma loucura, é um processo muito burocrático, que traz uma série de custos ocultos para a companhia. Então, por exemplo, a gente observa três custos ocultos aqui nos clientes no qual a gente fez uma análise muito minuciosa e encontrou uma série de problemas.



Diego Maia - E quais seriam eles?


Yvon Gaillard - Pagamento em duplicidade, então, pagar o mesmo imposto duas vezes. Fora isso, tem a questão de multas e juros, porque se eu perder o prazo - e os prazos do governo são apertados - eu tenho que pagar aquele tributo com multas e juros. E caminhões parados na fronteira do estado, por conta dessa falha no pagamento, o que leva, além do prejuízo financeiro de ter o caminhão, de ter a diária adicional, de ter a mercadoria parada, o impacto na experiência do cliente, que hoje é fundamental para manter o seu negócio funcionando. Então pensando nisso, uma das soluções da Dootax foi criada exatamente para solucionar esse problema.


"Hoje a Dootax é homologada para fazer essa conexão direta com todos os bancos com operação no Brasil." Yvon Gaillard

Diego Maia - Como ela funciona?


Yvon Gaillard - De maneira automatizada a gente conecta com sistemas da empresa, seja RP, seja o sistema de comércio eletrônico deles ou o sistema fiscal, captura as informações necessárias para gerar os documentos de arrecadação, as guias de impostos, comunica, faz essa integração ali com o governo através dos nossos robôs, da nossa tecnologia baseada em micro serviços para otimizar todo o processo de geração desses tributos. E a partir daí a gente também tem a possibilidade de conectar com os bancos de forma totalmente automatizada. Hoje a Dootax é homologada para fazer essa conexão direta com todos os bancos com operação no Brasil.


"Foi um ano (2020) incrível, mesmo com a pandemia. Conseguimos um crescimento super robusto, a gente dobrou novamente em relação ao ano anterior." Yvon Gaillard

Diego Maia - Como é que foi superar os desafios da pandemia? Vocês conseguiram crescer? A startup conseguiu aumentar os negócios, melhorar o resultado da startup mesmo na pandemia?


Yvon Gaillard - Diego, tenho que confessar para você que quando a pandemia começou no início do ano passado, foi em meados de março que a pandemia chegou no Brasil, assustou. Confesso que tomamos algumas decisões mais conservadoras, a gente cortou investimentos ali de cara. A gente tinha um plano de investimento no ano passado robusto, demos uma segurada para preservar o caixa e também para preservar os colaboradores que já estavam conosco no projeto e observamos ali o primeiro mês, o segundo mês.


Tenho que confessar que foram meses ruins, a gente teve uma queda significativa no número de novos clientes e também uma estabilização, uma pequena queda na curva de faturamento. Mas acho que o mercado se adapta. Não só nós, Dootax, nos adaptamos, mas como o mercado em geral se adaptou e o e-commerce, o varejo eletrônico acabou sendo uma saída para todo mundo para conseguir sobreviver.


Diego Maia - E vocês têm um trabalho forte com o e-commerce, certo?


Yvon Gaillard - Era a única coisa que funcionava, era o delivery. Então, a nossa solução tem uma aderência muito grande para o varejo. É um dos setores no qual se paga mais tributos no Brasil e que tem a maior complexidade tributária. E a nossa solução cai como uma luva para esse processo de implementação e de escala que o e-commerce precisava naquele momento.


Em meados de maio a gente começa a perceber um aumento na demanda, casou muito bem com a nossa estratégia no início do ano de investir no SMB, Small and Medium Business. Nós tínhamos uma estratégia que em 2019 estava muito focado para a Enterprise, para as grandes contas. No início de 2020, tínhamos criado uma célula de inside sales, uma estrutura junto com o marketing, com um produto para ter uma oferta para o SMB mais robusta. A gente conseguiu, depois da pandemia, entre meados de maio e junho, começar a escalar a nossa solução para o mercado e aí crescer de forma exponencial. Foi um ano (2020) incrível, mesmo com a pandemia. Conseguimos um crescimento super robusto, a gente dobrou novamente em relação ao ano anterior.


***


Você pode conferir mais entrevistas exclusivas no Portal CDPV e ouvi-las no podcast BóraVoar no seu navegador ou na sua plataforma de streaming preferida, como o Spotify, por exemplo.


Sobre o Diego Maia


Diego Maia é o palestrante de vendas mais contratado do Brasil. Com 6 livros publicados, atua no mercado de palestras e treinamentos de vendas desde 2003. Apresenta o BóraVoar, programa que está no ar em diversas emissoras de rádio como Antena 1 (103,7 FM Rio de Janeiro) e Mais Brasil News (101,7 FM Brasília). O programa também é publicado diariamente em todos os aplicativos de podcasts.


Diego Maia é CEO do CDPV (Centro de Desenvolvimento do Profissional de Vendas), escola de vendas pioneira no Brasil, especializada em treinamentos de vendas presenciais e online.