• Redação CDPV

Seguradora centenária tem o olhar no futuro

PREVISUL atravessou a pandemia com aposta em digitalização, mas reforça a importância do corretor



Uma empresa de origem familiar, centenária, mas com o suporte de um grande grupo internacional e o pensamento no futuro do negócio de seguros. Essa é a PREVISUL, seguradora gaúcha especializada em seguros multirriscos.


Fundada em 1906 em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, desde 2013 passou a integrar o grupo Caixa Seguradora, que é controlada pela holding francesa CNP Assurances. Essa história toda não é sinônimo de uma empresa que fica presa ao passado. A PREVISUL conseguiu enfrentar as dificuldades da pandemia de Covid-19 e a necessidade de isolamento graças ao processo de digitalização pelo qual já passava há quatro anos.


O CEO da seguradora, Renato Pedroso, conversou com o palestrante de vendas mais contratado do Brasil, Diego Maia, e falou sobre esse processo e inovação no mercado. Confira a entrevista concedida para o podcast BóraVoar.


Diego Maia - A PREVISUL é uma empresa centenária, com origem familiar, mas hoje faz parte de um grupo nacional que por sua vez tem como um dos controladores um grupo internacional líder na operação de seguros de vida na França. Como inovar e crescer liderando um negócio tão tradicional como o seu, Renato?


Renato Pedroso - Com relação à tua pergunta, a PREVISUL realmente é uma seguradora centenária, de 115 anos de existência, que vão se completar agora em agosto (2021) e acredito eu que o nosso desafio maior sempre foi se adaptar ao novo modelo de negócio, que de tempos em tempos naturalmente muda. A gente tem, desde a fundação da PREVISUL, vários acontecimentos históricos que provam a resiliência da companhia em conseguir se adaptar a esses novos ciclos do mercado. Nesse momento que nós estamos vivendo, muito acelerado pela pandemia acredito eu, estamos vivendo aí uma digitalização da relação de consumo. Com os consumidores e os próprios corretores de seguro demandando uma facilidade na ponta, através de mecanismos, ferramentas que possibilitem o que a gente chama de autosserviço na ponta.


"O corretor de seguros é o profissional que consegue orientar melhor o consumidor." Renato Pedroso

Diego Maia - E como a seguradora tem se preparado para isso?


Renato Pedroso - (A PREVISUL) já vem se adaptando a essa nova dinâmica de mercado há cerca de quatro anos, quando começou a digitalização de todas as suas interfaces em relação ao consumidor e ao corretor. E isso nos ajudou muito nesse último período da pandemia, já que de certa forma a gente colheu o que a gente apostou, que foi realmente desenvolver essas novas frentes de contato com o consumidor. E com isso conseguimos, acredito eu, antecipar uma movimentação dessa digitalização que com a pandemia se encurtou nessa. Essa dinâmica acelerou muito esse contato com o consumidor. Acredito que a gente está preparado e já está colhendo os frutos dessa nova dinâmica comercial.


Diego Maia - A distribuição dos produtos PREVISUL é é ancorada no corretor de seguros tradicional. Como é que você enxerga a transformação digital que a gente está atravessando, em especial no que diz respeito à distribuição dos teus produtos?


Renato Pedroso - Com relação a distribuição, a gente tem uma visão muito clara que é o produto de seguro e o produto financeiro complexo, a exemplo dos outros produtos financeiros que demandam maior conhecimento do consumidor e que acabam na verdade gerando uma demanda por consultoria. A gente vê isso muito nas linhas de investimento. O consumidor vem buscando profissionais qualificados que permitam o maior ou melhor entendimento desses produtos. E é por isso que a gente acredita muito no corretor de seguros.


"A digitalização é um dos pontos necessários para as empresas continuarem vivas e atuais." Renato Pedroso

Diego Maia - O papel do corretor ainda é fundamental então.


Renato Pedroso - A gente tem, como eu falei, a digitalização dessa relação de consumo, que eu acho que é um dos pontos necessários para as empresas continuarem vivas e atuais dentro dessa dinâmica de mercado. Mas de outro lado, como o produto de seguro é um produto financeiro complexo, com terminologias diferenciadas, a gente chama até de ‘segurês’, o seguro demanda um atendimento mais consultivo. E isso a gente encontra através do profissional de seguros, de corretor de seguros, que é um profissional habilitado que passa por uma certificação perante o órgão regulador, que é a Susep, e com isso a gente consegue ter um direcionamento do consumidor para o produto que melhor atende às suas demandas, às suas necessidades. A gente está antenado nisso e a gente vê no profissional o corretor de seguros esse profissional que consegue orientar melhor o consumidor e é por isso que a gente acredita que essa distribuição vai continuar se dando através de profissionais habilitados e conhecedores do produto.

Você pode conferir mais entrevistas exclusivas no Portal CDPV e ouvi-las no podcast BóraVoar no seu navegador ou na sua plataforma de streaming preferida, como o Spotify, por exemplo.


Sobre o Diego Maia


Diego Maia é o palestrante de vendas mais contratado do Brasil. Com 6 livros publicados, atua no mercado de palestras e treinamentos de vendas desde 2003. Apresenta o BóraVoar, programa que está no ar em diversas emissoras de rádio como Antena 1 (103,7 FM Rio de Janeiro) e Mais Brasil News (101,7 FM Brasília). O programa também é publicado diariamente em todos os aplicativos de podcasts.


Diego Maia é CEO do CDPV (Centro de Desenvolvimento do Profissional de Vendas), escola de vendas pioneira no Brasil, especializada em treinamentos de vendas presenciais e online.