Terceirização deve ser tendência após a pandemia

Jorge Rodrigues, CEO da SLM Recursos Humanos, acredita que empresas estão menos temerosas em contratar terceirizados



Com as mudanças na legislação trabalhista, a terceirização de funcionários passou a ser mais fácil para as empresas. E a tendência para o pós-pandemia é de que o mercado se aqueça mais, essa é a aposta do CEO da SLM Recursos Humanos, Jorge Rodrigues, que é especialista no assunto.


"As empresas entenderam um pouco mais e ficaram menos temerosas em praticar a terceirização de mão de obra." Jorge Rodrigues

Rodrigues concedeu entrevista para a edição especial sobre Recursos Humanos do podcast BóraVoar, do palestrante de vendas mais contratado do Brasil, Diego Maia. No bate-papo ele comentou que com a retomada da economia a terceirização será uma tendência.


Você pode conferir a entrevista abaixo.


Diego Maia - Falando desse segmento que você atua tão bem há muito tempo, que é a terceirização de mão de obra, terceirização de colaboradores. Como é que você enxerga esse assunto, esse seu segmento?

Jorge Rodrigues - Antes de entrar no cenário futuro eu queria reiterar que o mercado da terceirização de mão de obra, antes da pandemia, já estava bastante aquecido devido à recente reforma trabalhista. Essa reforma trabalhista ela desengessou todos os processos e entendimentos burocráticos que anteriormente existiam. E ela permitiu assim uma ampliação dos horizontes. As empresas entenderam um pouco mais e elas ficaram menos temerosas em praticar a terceirização de mão de obra. Isso fez com que o mercado se aquecesse de uma forma bastante satisfatória para ambas as partes.


Diego Maia - Após a pandemia a terceirização deve ser uma tendência?


Jorge Rodrigues - Num cenário futuro, pós-pandemia, com a retomada da economia, a terceirização em um contexto global se apresentará como uma forte tendência. Não vai ter como fugir disso. Teremos um mercado aquecido, exigente, teremos bastante demanda. Assim eu espero. Porque devemos ter um mercado já primando pela velocidade nos seus processos. Velocidade e qualificação de pessoal. Então espero que em um futuro bem breve, mas bem em breve mesmo, o mercado de terceirização de mão de obra ele se fortaleça e apareça cada vez mais no cenário corporativo.

Diego Maia - Como é que você enxerga o futuro desse segmento Jorge?


Jorge Rodrigues - Minha expectativa é que esse futuro se desenhe sem nenhum desgaste emocional. O que a gente já está vivendo está bem difícil. Eu espero que isso se acalme. Será um novo normal também para o corporativo, o pessoal, teremos desafios maiores e mais complexos, até porque os profissionais acabaram se adaptando à flexibilidade do home office. Então o desafio claramente será entrar no bem-estar, desempenho e o engajamento na gestão de pessoas. Essa readequação também deverá ser bem definida pelos profissionais de RH. Acredito que com uma visão estratégica detalhada e definida os paradigmas deverão também mudar. Precisamos estar focados nas operações dos valores, conhecimentos, habilidades e atitudes. O setor de RH, além de agregar novos conhecimentos e práticas, também deverá se reinventar.

Você pode conferir mais entrevistas exclusivas no Portal CDPV e ouvi-las no podcast BóraVoar no seu navegador ou na sua plataforma de streaming preferida, como o Spotify, por exemplo.


Sobre o Diego Maia


Diego Maia é o palestrante de vendas mais contratado do Brasil. Com 6 livros publicados, atua no mercado de palestras e treinamentos de vendas desde 2003. Apresenta o BóraVoar, programa que está no ar em diversas emissoras de rádio como Antena 1 (103,7 FM Rio de Janeiro) e Mais Brasil News (101,7 FM Brasília). O programa também é publicado diariamente em todos os aplicativos de podcasts.


Diego Maia é CEO do CDPV (Centro de Desenvolvimento do Profissional de Vendas), escola de vendas pioneira no Brasil, especializada em treinamentos de vendas presenciais e online.