• Redação CDPV

Youse leva experiência 100% digital para o mercado de seguros

Insurtech usa tecnologia para democratizar serviços e acabar com burocracia do setor



Você sabe o que é uma insurtech? São empresas com operação digital escalável, que usa a tecnologia para acabar com toda a burocracia do setor de seguros. Através delas o cliente pode fazer todo o processo de compra dos produtos, seja de vida, automotivo, residencial, com poucos cliques.


É uma proposta revolucionária em um setor onde o contato face a face com o corretor sempre foi regra. No Brasil a pioneira desse mercado é a Youse, que é operacionalizada pela Caixa Seguradora.


Com DNA 100% digital, a empresa tem como principal objetivo a democratização do acesso das pessoas ao mercado de seguros, segundo seu CEO, Marcos Centin Dornelles. E ele falou com exclusividade sobre os serviços da Youse para o podcast BóraVoar, do palestrante de vendas mais contratado do Brasil, Diego Maia. Confira a entrevista.


Diego Maia - Marcos, uma pergunta meio que bola de cristal. Você enxerga a sobreposição do online sobre o offline no mercado de seguros? Você espera que isso aconteça em quanto tempo?


Marcos Centin Dornelles - Não resta dúvida que a oferta de produtos e a disponibilização de serviços online tem crescido de forma muito significativa ao longo desses últimos anos. Então quando falamos não só de um processo de compra, mas também de um processo de gestão ativa da sua apólice, e ainda da solicitação e acompanhamento do serviço de sinistros e de assistência, que no caso da Youze já são uma realidade 100% digitais. De forma muito acelerada também vem sendo construída por outras empresas. Sejam insurtechs, seguradoras tradicionais e ainda propriamente corretores de seguros. Com isso eu posso afirmar que a sobreposição do online sobre o offline deve ocorrer num prazo de até cinco anos.


“Hoje eu não consigo enxergar empresas iniciando novos negócios de forma offline.” Marcos Centin Dornelles

Diego Maia - Marcos, a distribuição online e offline, esse offline face to face, caminharam juntas ou uma irá substituir a outra? Como é que você enxerga isso?


Marcos Centin Dornelles - O caminho trilhado e já devidamente consolidado em alguns segmentos de negócios, e aqui eu poderia trazer alguns exemplos de maneira muito rápida: streaming de filmes, de músicas, compra de passagens aéreas, reserva de hotéis e até mesmo, por que não dizer a compra de livros, que eram processos tradicionalmente offline, face to face, hoje basicamente são 100% digitais. Restando poucas iniciativas tradicionais. Eu diria que esse caminho é inexorável para o mercado segurador brasileiro.


Diego Maia - Na pandemia isso foi uma tendência, não é?


Marcos Centin Dornelles - Diria inclusive que a pandemia acelerou todo e qualquer processo que eventualmente as empresas estivessem construindo de transformação digital, fazendo com que projetos que estivessem na prancheta viessem literalmente para a prática. E com isso, definitivamente a distribuição online ganha passos largos, fica na dianteira, deixando para trás o processo de distribuição offline. Hoje eu não consigo enxergar empresas iniciando novos negócios de forma offline.

Você pode conferir mais entrevistas exclusivas no Portal CDPV e ouvi-las no podcast BóraVoar no seu navegador ou na sua plataforma de streaming preferida, como o Spotify, por exemplo.


Sobre o Diego Maia


Diego Maia é o palestrante de vendas mais contratado do Brasil. Com 6 livros publicados, atua no mercado de palestras e treinamentos de vendas desde 2003. Apresenta o BóraVoar, programa que está no ar em diversas emissoras de rádio como Antena 1 (103,7 FM Rio de Janeiro) e Mais Brasil News (101,7 FM Brasília). O programa também é publicado diariamente em todos os aplicativos de podcasts.


Diego Maia é CEO do CDPV (Centro de Desenvolvimento do Profissional de Vendas), escola de vendas pioneira no Brasil, especializada em treinamentos de vendas presenciais e online.